UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA

DISCIPLINA DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA

os microorganismos

Os microorganismos existem em todo o lado, desde a superfície terrestre até altitudes elevadas, em todas as áreas continentais, nos ambientes marítmos desde a superfície até as profundezas abissais. Estima-se que a massa microbiana total seja 25 vezes superior à massa total da vida animal. Os animais transportam enormes populações microbianas, por exemplo, o corpo humano tem 10 bilhões de células e 100 bilhões de microorganismos.

Dos milhares de microorganismos conhecidos, apenas um número reduzido causam doenças. Todos os animais e plantas dependem de transformações químicas efetuadas por microorganismos no ambiente. Os micróbios promovem a reciclagem da matéria na natureza, transformados compostos complexos em outros mais simples. Os produtos de degradação são absorvidos pelas plantas, e posteriormente as plantas são ingeridas pelos animais. Por fim, as plantas, os animais e os seus dejetos são depositados no ambiente e o processo repete-se. Na ausência dos microorganismos a matéria orgânica acumular-se-ia indefinidamente.

Com o início dos estudos dos microrganismos, ficou claro que a divisão dos seres vivos em dois reinos (animais e plantas) era insuficiente. Em 1866 foi sugerida a criação de um terceiro reino (protista), que englobava as bactérias, algas, fungos e protozoários.

Essa classificação foi satisfatória até que estudos mais avançados sobre a ultra-estrutura celular demonstraram duas categorias de células (procarióticas e eucarióticas).

Em 1969 foi proposta a classificação baseada na organização celular e na forma de obter energia e alimento. A nova classificação dividiu os seres vivos em cinco reinos: Reino Plantae, Reino Animália, Reino Fungi, Reino protista (microalgas e protozoários) e Reino Monera (bactérias e cianobactérias).

No ano de 1979, C. Woese estudando as similaridades e diferenças do RNA ribossômico propôs uma nova classificação para os seres vivos. Domínio Arquibactérias (bactérias metanogênicas, bactérias termófilas, bactérias acidófilas e bactérias halófilas), Domínio Eubactérias (inclui as demais bactérias e cianobactérias) e Domínio Eucarioto (inclui plantas, animais, fungos, protozoários e algas).

Os vírus não se enquadram na classificação dos seres vivos, por não apresentarem uma estrutura celular. São formados basicamente por uma porção de material genético (DNA ou RNA), envolvido por proteína. Alguns vírus com estruturas mais complexas possuem sobreposto a camada protéica um envoltório lipoprotéico. Fora das células, os vírus não possuem atividade metabólica própria. São classificados de acordo com o ácido nucléico, composição química e morfologia.

 

 

 

 

 

 

 

Vírus Ebola

Vírus Ebola

 

 

 

 

Bactéria “Staphylococcus aureus”

Bactéria “Staphylococcus aureus

 

 

 

 

Protozoário “Giardia lamblia”

Protozoário “Giardia lamblia”:

 

 

 

Fungo da micose

Fungo da micose;

 

 

 

 

Tipos de microorganismos:

 

 

                        Vírus

Vírus  são  os   menores  microorganismos   que   existem.

 São responsáveis  por  doenças  comuns,  como  resfriado,

 gripe e dor de garganta. Causam também doenças terríveis,

 como poliomielite, Ebola e Aids.

 

 

 

 

 

 

                        Bactérias

Bactérias são organismos unicelulares tão simples que são desprovidos de núcleo e em geral têm um só cromossomo. Trilhões de bactérias habitam o nosso corpo, a maioria no trato digestivo. Elas ajudam a digerir os alimentos e são a fonte principal da vitamina K, necessária para a coagulação do sangue. Apenas umas 300 das cerca de 4.600 espécies de bactérias catalogadas são consideradas patógenas (causadoras de doenças). Ainda assim, as bactérias são a fonte de uma longa lista de doenças em plantas, animais e humanos. Nos humanos essas doenças incluem tuberculose, cólera, difteria, antraz, cáries dentárias, certos tipos de pneumonia e várias doenças sexualmente transmissíveis.

 

 

 

 

                        Protozoários

Protozoários, como as bactérias, são organismos unicelulares, mas podem ter mais de

um núcleo. Incluem as amebas e os tripanossomas, bem  como  o  parasita  da  malária.

cerca de  um  terço  das  espécies  vivas  são  parasitas    existem  cerca  de  10.000

espécies — embora  poucos desses parasitas causem doenças em humanos.

 

 

 

 

 

                        Fungos

Fungos também podem causar doenças. Esses organismos têm um núcleo e formam emaranhados

de filamentos. As infecções mais comuns são  tinhas  (micoses),  como  pé-de-atleta  e  candidíase

(cândida). Infecções fúngicas graves em geral afligem apenas pessoas  com  defesas  enfraquecidas

pela desnutrição, câncer, drogas ou infecções viróticas que suprimem o sistema imunológico.